global-removebg-preview.png

      Assessoria Financeira e Jurídica Qualificada

A importância do planejamento financeiro nas empresas para situações inesperadas e sua reserva financeira.

 

Apenas algumas empresas de segmentos específicos conseguirão escapar sem nenhuma consequência dos impactos financeiros causados pela pandemia do novo coronavírus, o Covid-19. Isso nos leva a uma pergunta: Sua empresa possui um planejamento financeiro adequado que contemple situações adversas ou reserva de recursos para situações inesperadas como essa?

 

Vamos pegar um exemplo que sempre vimos nesses anos de atuação da Global.

 

Muitas empresas deixam para buscar recursos no mercado financeiro apenas em última necessidade. Usam recursos do caixa para comprar máquinas a vista ou realizar algum projeto de construção, ao invés de buscar no mercado financeiro condições viáveis para realizarem tais projetos.

 

Essas empresas poderiam aplicar esse valor que está disponível, criar uma reserva de caixa para despesas com pessoal, gastos que podem surgir sem previsão ou para fortalecer o capital de giro caso aconteça algo também inesperado.

 

Sabemos que tem empresas que já atuam com uma baixíssima margem, que não consegue juntar recursos, criar reservas, para isso é necessário se reorganizar, ver como está o planejamento, o que mudou e tentar se reinventar.

 

Tem empresários que dizem “não pego dinheiro em banco”, “não pago juros”, porém, quando chega numa situação extrema que tem que recorrer a alguma linha de crédito, pode ser tarde e terá que conviver com taxas mais elevadas, exigências absurdas ou até mesmo pegar dinheiro em factoring, cujo juros é elevado e consumirá boa parte do que poderia ser a lucratividade da empresa.

 

É preciso que a pessoa de finanças analise o quanto pagará de juros, quanto de retorno tal projeto trará, e em quanto tempo. É necessário saber a taxa interna de retorno desse investimento, para poder tomar as melhores decisões. Parece básico, mas muitas empresas deixam de fazer, simplesmente pelo fato do empresário dizer que “não quer pagar juros pra banco”.

 

A questão não é tão simples assim, é a saúde financeira da empresa.

 

Pegamos apenas esse exemplo para ilustrar que as empresas precisam sempre analisar/rever/reorganizar o planejamento financeiro, a programação e forma de realização de seus investimentos, criar situações que permitam ter reservas para eventualidades, ter uma mente menos engessada sobre a utilização dos recursos que o mercado financeiro coloca à disposição e sobretudo saber analisar o retorno que seus investimentos trarão sobre o quanto pagará por mês caso busque recursos de uma instituição financeira.

 

As melhores opções de crédito surgem justamente quando a empresa não precisa, quando está captalizada, quando os negócios estão na melhor fase e essa é a hora que a empresa deve estar aberta as opções de crédito no mercado e se for o caso, contar com especialistas externos para que tenha acesso a tais alternativas.